20.10.09

O caminho do amor...



"Não pode haver felicidade

quando as coisas nas quais acreditamos

são diferentes das que fazemos."



Não sei o autor desta frase, na verdade li no Facebook e resolvi usa-la como tema para um assunto que ocupa minha mente ultimamente. Não é facil a vida a dois, ainda mais vivendo em um lugar que não te pertence, que não pertence às tuas raízes, não reflete a tua cultura... mas à parte este pequeno detalhe, em qualquer lugar do mundo a dificuldade no relacionamento se propõe con frequência na vida das pessoas.


O que pude reparar é que muitas pessoas têm dificuldade na hora da separação definitiva, em tomar distância quando a relação acaba e por isso vivem aquele iô-iô do vai e vem por um longo período. Naquela de "vamos continuar amigos" a coisa se estende, se prolonga e vira uma sanfona desafinada e sem sentido. Afinal, acabou ou não?


Mas o que esta frase tem a ver com tudo isso? Tenho pensado nas conversas que ouvi nas útlimas semanas, das pessoas dizendo que "desta vez é definitivo", "não posso viver a vida assim", "tenho que dar um basta nisso porque estou sofrendo", "são tantos anos que a gente termina e volta, isso não é vida", "se não quer mais nada comigo, então porque me liga", "cansei, desta vez chega não tem volta", etc. Enfim, tantas outras frases similes mas que no fim são simplesmente jogadas ao vento na esperança de serem esquecidas porque na verdade, depois destes desabafos de cosciência... cada um volta para a sua realidade, ou seja, acaba voltando a permitir a presença do outro na sua vida; porque apesar do sofrimento, de saber que está sendo enganado(a) ou que não está funcionando por algum motivo e coisa e tal... é melhor ter aquela pessoa ao lado do que não tê-la. Em algum lapsus de cosciência, tudo acaba... mas um simples esbarrão de noite no bar bota tudo a perder. E a novela segue como um fio sem começo nem fim, porque é difícil dar um basta em tudo.

Com isso eu tenho me perguntando o que é realmente a felicidade no amor? Porque uma relação se arrasta desta maneira? O que é mais forte dentro da gente: o amor, a dor, a razão, a auto-estima. Quanto é importante o outro, quanto é possível suportar por amor, até onde é possível chegar? Que nome dar a este sentimento que nos acorrenta ao outro, que é maior que nós?


O meu coração me trouxe até aqui, uma longa viagem, uma escolha importante. Não foi fácil e ainda não é... em alguns momentos de crise tudo estremece e nós procuramos manter as mãos unidas e vencer juntos cada obstáculo. Mas, repito, não é fácil! No início eu não conseguia entender como é possível que entre duas pessoas que se amam possa haver espinhos... depois eu descobri que além das flores, dos perfumes, do encanto, da felicidade... em toda relação tem também espinhos, pedras, cruz, silêncio... Tem o dia e tem a noite, a luz e o escuro. Duas pessoas para caminhar juntas precisam seguir juntas, lado a lado, querer-se bem todos os dias e respeitar um ao outro, porque se cada um decide fazer como bem quer... tudo muda, a corda arrebenta e alguém pode acabar ferido. E é isso que tenho visto por aqui, tantas pessoas com o coração machucado mas que insistem em não curar a ferida. Pessoas com a corda cheia de nós que insistem em reparar algo que parece ja estar perdido.


Será que tudo isso é amor ou um capricho? Será medo de acabar sozinho?
Não estou aqui para julgar ninguém, tanto menos as escolhas que cada pessoa faz. Pois somos nós, somente nós, responsáveis pelas decisões que tomamos. O caminho do amor certamente não é fácil, mas não podemos ir contro nós mesmos somente para agradar ou estar com alguém.
Bom domingo a todos
:)




4 comentários:

Anna Karine disse...

Ana, vc tocou em pontos muito interessantes: A DIFICULDADE DE COLOCAR UM PONTO FINAL E A FELICIDADE NO AMOR.
Ja vivi essa dificuldade no meu primeiro casamento. Tava na cara que as coisas nao iriam terminar bem mas por medo da dor da separaçao eu nunca tomei a decisao de ir embora. Acabei sofrendo o dobro! é muito dificil colocar a pedra em cima de um relacionamento. Acho que é um processo longo e que inevitavelmente passa por essa fase de recaidas, especialmente se tratando de nos mulheres.
A Felicidade no amor é uma coisa muito complexa. Acho que existem momentos felizes que podem ser frequentes ou nao. Em toda relaçao existe seus altos e seus baixos. A dois anos atras vivi momentos baixos com meu atual marido. Pensei em pegar as malas e ir embora por Brasil. Hoje vivemos momentos de muita alta, realmente prazerosos. Mas sei que nao vai durar pra sempre, que provavelmente teremos outro momentos ruins pela frente. E assim em qualquer relacionamento. A verdadeira felicidade, pra mim , vai ser conseguir superar os obstaculos e continuarmos juntos e ainda existir amor e respeito entre nos dois.

Mara disse...

Oi Ana, tudo bem??
Amei a frase desta postagem e a simplicidade com que você fala de você e de seus sentimentos.
Desejo que tudo fique bem e que você seja muito feliz.
Beijão procê.

Annita Perla disse...

Anna, acho que para nós que moramos no exterior tudo fica mais à flor da pele que o normal... a saudade, o longo inverno... não é fácil. Que a estrada de vocês seja de muito amor!
Bjs :)

Annita Perla disse...

Oi Mara, seja bem vinda ao meu blog! Preciso confessar que depois de 6 anos na Itália perdi muito do meu português... mas tento expressar meus sentimentos em modo sincero e puro. Sou muito passional e impulsiva, isso é bem claro no que escrevo. :)
O texto nasceu porque algumas amigas estão passando por algo parecido... uma delas há 9 anos. Imagina!
Abraços