28.1.08

Que seja infinito!


"Promete ser fiel na alegria e na tristeza , na saúde e na doença , amando-lhe e respeitando-lhe até que a morte os separe?”

"De tudo ao meu amor serei atento
Que não seja imortal, posto que é chama.
Mas que seja infinito enquanto dure."

Bem, meu "amore italiano" e eu resolvemos nos casar. Depois de 4 anos e meio morando juntos, achamos que era o momento de colocar todo nosso amor em um papel. Até pq, eu não estava mais disposta a fingir de frequentar a universidade para poder ter o visto e morar na Italia. Há momentos na vida em que não tem jeito de fugir às responsabilidades! Como eles dizem por aqui: Não quiz a bicicleta??? Então pedala! No inicio era algo estranho falar em casar, mas um dia ele virou pra mim e falou com muita delicadeza (pq meu amore é discreto como um carro velho com cano de descarga furado): Ou! Arruma logo os documentos e vamos dar entrada no pedido de uma vez! Tão romântico quanto arrotar dizendo "te amo"! Mas é o jeitinho dele de mostrar qto me ama e eu... ah, eu fico muito irritada! Puxa vida, não podia ser um pouco mais "refinado", tinha que ser mesmo "rude" até na alma??? Enfim.... ele ainda não me pediu em casamento e eu ainda não disse de sim; mas a data já está marcada, o restaurante para o jantar escolhido e todo mundo convidado!
Na pagina web de G.J. Ballone encontrei este argumento sobre CASAMENTO, achei legal e resolvi postar uns pedaços pq o texto era muito longo! Coisas que acho legal saber e refletir; vida a 2 é maravilhoso mas olhando de modo objetivo, é como uma pequena empresa, é preciso saber gestir.

"Casar é conjugar e reside aí o fato de o casal encerrar, ao mesmo tempo, duas individualidades. Na prática, isso equivale a anular (se a palavra é pesada podemos usar relevar, conceder, transformar, etc) dois sujeitos, dois desejos, duas visões de mundo, duas histórias, dois projetos de vida e duas identidades individuais numa única identidade conjugal, em um mesmo desejo conjunto, em uma história de vida conjugada, um projeto de vida de casal, um só objetivo. No Brasil, até a certidão de nascimento, prova cabal de que minha pessoa existe, é substituída pela certidão de casamento. No casamento tradicional e durável, é fundamental que um saiba sim da vida do outro. Não só da vida, mas dos sentimentos, carências, conflitos... Há necessidade de conhecer-se e sentir prazer com esse conhecimento recíproco e mútuo. O psicanalista Flávio Gikovate afirma que "ninguém consegue passar muito tempo convivendo trinta dias por mês, doze meses por ano, com quem não compartilha dos mesmos interesses, hábitos e valores" .
De modo geral, quem está bem consigo mesmo não incomoda aos demais, e a recíproca é verdadeira. Tenho visto casamentos fugazes devido ao desemprego, às dificuldades econômicas do casal, às dificuldades econômicas dos parentes próximos (a sogra teve que morar com o casal), aos transtornos de comportamento dos filhos (conduta, hiperatividade, etc) e outras circunstâncias adversas. Da mesma forma que existem alguns rompimentos conjugais devido à dificuldades existenciais de um dos membros do casal, tais como depressão, drogadicção, jogo patológico, alcoolismo, cleptomania, exibicionismo e mais um sem número de alterações.
A sexualidade é também um dos fortes motivos para separação conjugal. O impulso sexual que atende à sensualidade sublime na mulher pode ter início no café da manhã, através de alguma demonstração de carinho por parte do parceiro, pode exacerbar-se se o parceiro abre a porta do carro, se demonstra qualidades desejáveis para um bom companheiro, como compreensão, participação, cumplicidade, etc. Finalmente, o impulso sexual feminino se completa com a intimidade na cama, considerando a penetração uma parte (nem sempre a mais importante) da importância sexual global do parceiro. A sexualidade masculina, por sua vez, costuma ser mais relacionada aos lobos frontais e temporais. O desejo sexual masculino se estimula mais pelos órgãos dos sentidos do que pelos sentimentos, como é o caso das mulheres. Para a sexualidade masculina é muito importante a visão, o tato, olfato.
Talvez por causa da necessidade desses estímulos, o homem sente mais cobiça sexual que as mulheres, buscam mais novidades sexuais que as mulheres. Estas, entretanto, experimentam mais a cobiça por objetos de grande valor simbólico, como bilhetinhos, cartas, datas, músicas, jóias, perfumes, flores, etc.

(...) "

A quem se interessar, pode encontrar o artigo inteiro no seguinte endereço:
http://gballone.sites.uol.com.br/familia/casamento.html


Boa sorte a mim, a nós!
:-)

Um comentário:

Samy disse...

Ola!!
Adorei o texto!!
Realmente inspirador!! =D

Parabens à vc e seu amore!!


Bom, aproveitando que passei por aqui meio que sem querer... queria saber se vc nao poderia me ajudar...
Assim como vc, meu "amore" ainda nao me pediu em casamento, mas já estamos com tudo mais ou menos escolhido. E ai me surgiu a brilhante ideia de mudar tudo e fazer um casamento típico italiano!! A escolha do tema foi muito bem pensada e tem muito significado, mas explicar pra vc isso por aqui tomaria todooooooo o seu dia.. hihihi.. enfim, caçei, caçei, caçei, e encontrei o teu blog onde vc conta que mora na italia, eu gostaria de saber como sao os casamentos tradicionais daí, se vc pudesse me ajudar. Até fiz uma consulta básica por sites, mas os sites discordam muito em relação as tradições italianas.
Bom, é isso =)
Obrigada.. e tá lindo o blog!!

e mais uma vez parabens pelo futuro casorio!